Quarta-feira, 29 de Setembro de 2004

A I N D A F O I . . . L U Z

Flor Iman.jpg


Foi há tantos segundos e agora
é difícil recordar exactamente
o que para mim significaste...
Aqui quieto ainda espero,sou paciente,
porque a memória chega-me eventualmente.
Aqui estás tu e, embora
te possas em breve ir embora,
de algum modo a canção ainda
arde como brilhava:
senti isso acontecer aqui esta noite -
aqui onde ainda foi...luz

publicado por jmdslb às 01:19
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Anónimo a 30 de Setembro de 2004 às 00:40
Aí grande antonio!Não só luz mas calor é mato.Isto, é como a transmutação dos valores ocidentais,acho que isto se transmutou para um trópico...e viva Glorioso.Abração!!!! Joao
</a>
(mailto:JMDslbjoao@sapo.pt)


De Anónimo a 30 de Setembro de 2004 às 00:40
Aí grande antonio!Não só luz mas calor é mato.Isto, é como a transmutação dos valores ocidentais,acho que isto se transmutou para um trópico...e viva Glorioso.Abração!!!! Joao
</a>
(mailto:JMDslbjoao@sapo.pt)


De Anónimo a 30 de Setembro de 2004 às 00:31
Para a Monica! Só poderá ser como sombras da noite à imagem do camaleão de Peter Hammill.Fica bem,beijos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Joao
</a>
(mailto:JMDslbjoao@sapo.pt)


De Anónimo a 30 de Setembro de 2004 às 00:29
Olaa ridufa!Vamos ver como fica essa luminosidade peréne poderá ser eterna quem sabe... Jinhos!!!!!!Joao
</a>
(mailto:JMDslbjoao@sapo.pt)


De Anónimo a 30 de Setembro de 2004 às 00:23
Caro amigo Paulo! A questão evidente não é inventar o pensamento pela linguagem,mas saber e (pensar)o limite da própria linguagem.A experiência filosófica como experiência "linguajeira" é o pensamento desse limite num plano logocentrista,por outras palavras uma desconstrução do próprio re-pensar dos fundamentos ontológicos e fenomenológicos do pensar.A linguagem tem pois na minha modesta opinião primazia sobre o pensamento.É apartir da articulação dessa anterioridade (Arki para os gregos) arquioriginária da língua com a questão da identidade ou da identificação em geral e da responsabilidade do sujeiot em si. Para concluir é pensar o limite no limite da filosofia,isto é dizer,da linguagem. A linguagem é finalmente a instância emergente estrutural que resiste ao próprio pensamento.Se o limite não me resiste então não é mais limite,age como se pretendesse isso,não se pensa limite nenhum. Já agora e para acabar com cordialidade gostaria de saber a sua opinião e aqui fica lançado o desafio, O que é o pensamento? Um abraço amigo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Joao
</a>
(mailto:JMDslbjoao@sapo.pt)


De Anónimo a 30 de Setembro de 2004 às 00:08
Pelo menos nestes dias tem havido muita luz, o sol e o nosso Glorioso têm brilhado. Um abraço!!AJMPE
(http://www.coelhoso.net)
(mailto:Editor@Coelhoso.net)


De Anónimo a 29 de Setembro de 2004 às 21:30
Ja foi luz agora é apenas uma sombra k fez parte da tua vida...Beijokas***Monica
(http://wwwmypapermoon.blogspot.com)
(mailto:mnh@sapo.pt)


De Anónimo a 29 de Setembro de 2004 às 11:50
Ainda foi luz... pena não continuar a ser ;) bjsridufa
(http://luzde1vela.blogs.sapo.pt)
(mailto:ridufa@net.sapo.pt)


De Anónimo a 29 de Setembro de 2004 às 03:02
Aprecio as manifestações de amizade patentes no seu poema, fico contente por si. Gostaria no entanto de retomar o comentário anterior. Espero que não lhe desagrade este meu entusiasmo. O João parece manter uma determinada tendência para considerar a linguagem anterior ao pensamento, mas essa preferência sua está longe de ser uma certeza definitiva. A opinião dos pensadores divide-se em relação a essa matéria - daí um certo exagero no tom imperativo do seu comentário. Repare neste raciocínio simples, razoados modestos de alguém que sabe muito pouco – evoluir da tracção animal ao motor de combustão pode ser considerado futurismo? No entanto, de alguma forma existiu a antecipação, a memória por si só não chega para justificar o acto da evolução, da superação, do pensar “que poderia ser diferente, e ainda diferente”, do pensar algo que nunca antes tinha sido pensado. Chame-lhe sintético à priori ou analítico, conforme lhe aprouver – questão melindrosa. Linguagem… não terá sido um pensamento que criou a linguagem? Não estamos a ver a linguagem e as palavras a virem pelos ares e a inventarem o pensamento… Não sei… Cordialidades…Pleot
(http://nathum.blogs.sapo)
(mailto:pauloleote@hotmail.com)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Vita Nuova

. ...

. Saudade ll

. ANGEL

. SIRENIA

. OT3P

. STEVE VAI

. The Raconteurs

. Dimebag Darrel

. Zakk Wilde's tribute to D...

.arquivos

. Outubro 2011

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

.links

.Player Guitar

EscudoAca.jpg

philosop.gif

Zakk Wylde Zakk Wylde: National Anthem

Add to My Profile | More Videos
logo_che.gif

.KLIK EM CADA VIDEO-THERÍON

.FILOSOFIA E LITERATURA

.Contador



.MYSPACE - BANDAS

.subscrever feeds