Sexta-feira, 11 de Junho de 2004

ESTILHAÇOS - I

oedipus.jpg

Achei sempre que as ideias acabavam à partida,
Que estar demasiado tempo imóvel fazia-nos desaparecer.
talvez de estar tão certo não sei bem se é verdade,
Talvez de não estar assim tão seguro duvido se o pensei.


O que importa é que o horizonte ficou para trás.
Todo o tempo que julguei percorrer,afinal passou-me
E não ouvi o tiro de partida.
Provável é ter feito bem,ficar quieto.


Se o que motivava se subverte,
Se o ouro que reluzia perante a vontade
É o atavismo que depois queremos esquecer,
Então o saldo é o conta-gotas que os dias bebem.

publicado por jmdslb às 14:15
link do post | comentar | favorito
12 comentários:
De Anónimo a 14 de Junho de 2004 às 03:12
Podes crer almagémea!Como tu própria dizes,são fragmentos do inconsciente.A culpa é de Freud,que a descobriu.Beijos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Joao
</a>
(mailto:JMDslbjoao@saoi.pt)


De Anónimo a 14 de Junho de 2004 às 03:09
A melhor hora são "Moments Decides" como aquela canção dos Yes.Gostei da tua visita,volta sempre!Jinhos MissLadyMystery.!!!!!!!!!!!!!!!!Joao
</a>
(mailto:JMDslbjoao@sapo.pt)


De Anónimo a 14 de Junho de 2004 às 00:49
Há momentos para ficar, há momentos para agir. Por vezes o difícil é estar atento e saber quando fazer o quê...Miss Kafka
(http://www.kafkiano.blogspot.com)
(mailto:blogkafkiano@hotmail.com)


De Anónimo a 14 de Junho de 2004 às 00:44
Para a Lia! Querida amiga enfatizo o ke disse no texto.«Talvez de não estar assim tão seguro duvido se o pensei»...! É a tal dúvida metódica cartesiana que nos manipula,todos nós somos filhos do raionalismo,da razão,do modernismo de Decartes.Jinhos pra ti!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Joao
</a>
(mailto:JMDslbjoao@sapo.pt)


De Anónimo a 13 de Junho de 2004 às 16:50
Alguém com alma diria eu de ti, alguém que acredita naquilo que sonha e que quer alcançar... Podes não ter ouvido o som da partida, mas podes muito bem ser a tartaruga que a seu passo chega a meta, sem batota e com a cabeça erguida... As coisas não se esquecem, nem se deixam passar... apenas esperamos a melhor hora para agir... Um beijo doce e obrigada pelo que escreveste no meu blog :) MissLadyMystery
(http://MundoDosSonhos.blogs.sapo.pt)
(mailto:lovespellyou@portugalmail.pt)


De Anónimo a 13 de Junho de 2004 às 15:20
João: "Se o que motivava se subverte,
Se o ouro que reluzia perante a vontade
É o atavismo que depois queremos esquecer,
Então o saldo é o conta-gotas que os dias bebem."
Qtos são os momentos assim... Muitos pra mim. Fatalismo? Não, justamente uma lucidez necessária pra transformar numa esperança, mínima que seja. Esperança parva só para continuar? Não, acho que pra tentar mudar.beijinhos, meu caroLia
(http://textosecenas.blogs.sapo.pt/)
(mailto:liaccarvalho@hotmail.com)


De Anónimo a 12 de Junho de 2004 às 23:18
Podes crer analfabeto!As ideias passam com o tempo,pra alguns,para outros é inexorável.Um abraço!!!!!!!!!!!!!!!!!Joao
</a>
(mailto:JMDslbjoao@sapo.pt)


De Anónimo a 12 de Junho de 2004 às 22:56
As ideias mudam com a idade, acho q estás apassar por essa fase.... ASS: Analfabetopolittikus
(http://polittikus.blogspot.com)
(mailto:pp@sapo.pt)


De Anónimo a 12 de Junho de 2004 às 04:49
Bem argumentado terminal!Gostei desta tua faceta de filosofo,a argumentar e a indagar.É isso mesmo paraste para pensar,basta isso para estar de vígilia e não com sono.Abração amigo,ganda filosofo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Joao
</a>
(mailto:JMDslbjoao@sapo.pt)


De Anónimo a 12 de Junho de 2004 às 04:45
Para a Lia!Obrigado pela tua visita.Volta sempre.Desejo-te óptimo fim de semana.Jinhos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Joao
</a>
(mailto:JMDslbjoao@sapo.pt)


Comentar post